Resenha: O Espaço entre Nós

Olá suckers! Então, hoje vim resenhar um filme que JÁ saiu do cinema, porém eu fiquei muito ansiosa para vê-lo e não tive a oportunidade, mas COM O PODER DA GRAÇA DIVINA  ele chegou na Netflix e decidir falar um pouco sobre ele pra vocês, porque, de verdade, MERECE. Vamos lá?

O adolescente Gardner Elliot (Asa Butterfield) é o primeiro humano nascido em solo marciano. Mas ele deseja fazer uma viagem à Terra para conhecer a verdade sobre seu pai biológico, e sobre seu nascimento. Nesta jornada, ele tem o apoio de Tulsa (Britt Robertson).
5780599828fb8-Britt-Robertson-Asa-Butterfield-The-Space-Between-Us-1200x520-1024x444 (1)

Eu estava com muita expectativa desse filme, apesar de não ter sido muito divulgado e comentado — como muitos dramas (ou comédias) românticos hoje em dia — me impressionei com o trailer e como eu tenho um ponto fraco por romances, cedi e não me decepcionei. O filme tem a trama protagonizada por Gardner, um adolescente marciano nascido em segredo pela NASA e ele é trazido para a Terra, mas antes de vir, ele já conversava com Tulsa pela internet — mas nunca contando seu verdadeiro paradeiro e situação — já Tulsa teve uma infância/adolescência difícil em vários lares adotivos. E nisso, os dois vão numa missão para encontrar o pai biológico de Gardner — foragidos e perseguidos pela NASA —.

tumblr_okitupy9MF1s01fsdo1_500

          Imaginem um garoto marciano, que só teve contato com 14 pessoas em 16 anos, NA
TERRA? Cenas engraçadinhas lotam o filme, além de ser muito bonito ver Gardner valorizar pequenas coisas da Terra, e do nosso dia a dia que é quase imperceptível por nós, como é por Tulsa. O filme também é um pouco futurista e obviamente com ficção-científica. Como nem tudo é rosas, Gardner tem um problema no coração e não sobreviverá por muito tempo na atmosfera terrestre, mas nesse meio ele já vive uma história — se é que pode ser considerada história — com Tulsa,  e a menina que odeia a escola e as pessoas nela, ama Gardner facilmente.


         Uma coisa que tiro o chapéu para o filme são as cenas no espaço e a sua cinematografia, tem umas cenas de umas paisagens tão maravilhosas, raramente vistas em filmes atualmente. A atuação de Britt Robertson, excepcional como sempre e Asa, também foi demais, como em O Lar das Crianças Peculiares (2016). Sem contar o grande plot twist que eles colocaram no final, que eu nem sequer imaginava. Em geral, recomendo a todos que gostam de um romance, mais precisamente, juvenil. Eu chorei que nem um bebê nesse filme — mas eu choro para tudo fictício, então não conta — agora me contem vocês.

tumblr_o8hn2xUpU91v6rsv6o1_500.gif
Beijos e até o próximo post! 🙂 

Resenha: Mulher Maravilha!

Olá mishamigos! Tudo bom com vocês? Comigo está tudo ótimo, afinal acabei de sair da sessão de Mulher Maravilha e vim correndo contar pra vocês minha opinião sobre esse maravilhoso filme.

Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Wonder-Woman-Picture-03032017

Bom, como todos — ou não — sabem, Wonder Woman é um filme solo e mais para contar a origem e a história de Diana Prince, até ela se tornar a tal heroína. O filme se inicia em Themyscira, onde passam as cenas das Amazonas, que são impecáveis, o cenário é maravilhoso com cores vivas e as lutas delas, os treinamentos no caso, são totalmente demais. As lutas no filme tem alguns movimentos mais lentos que ficaram muito bons.

iqo257h

Diana, é demasiada ingênua no começo da trama, sem ter contato com o mundo dos homens ela acredita na bondade e tem o coração mais puro. Depois que embarca com Steve — capitão britânico que “aparece” na ilha — numa missão para Londres de comunicar o General do plano alemão e da parte dela, derrotar Ares, Deus da Guerra, que ela alega estar corrompendo os humanos, a ponto deles iniciarem a 1ª Guerra Mundial, Diana percebe em qual situação os humanos se encontram e o quão grande é o sofrimento deles.

f2fefdd9767d51204704b4f6627c7d6c82877cc9c3351985047290452c6065ef

O filme é maravilhoso e faz jus as mulheres poderosas que somos. Patty — diretora do filme — disse que não queria que Diana lutasse como homem e alcançou o que queria. Diana luta com graciosidade e sua inabalável fé nos humanos é incrível. A contrastável mudança no cenário da ilha para Londres é palpável e se compara com a personalidade dela. O filme arranca boas risadas, afinal Diana vivia isolada entre mulheres numa ilha! O que ela sabe sobre as engenhocas humanas?

tumblr_omop3qhDBR1r4a3zdo5_r3_540

Um aspecto negativo foi o excesso de efeitos especiais no final, algumas coisas foram muito forçadas, as fazendo exageradas. A atuação de Gal Gadot abalou meu mero coração. QUE MULHER. Chris Pine também foi sensacional, o personagem dele ganhou meu amor. O filme é digno do nome, e de um filme solo. 2 horas e 20 minutos bem recompensadas. DC se superou e, na minha opinião, superou Esquadrão Suicida! Até escorreu umas lagriminhas no final, haha. (rindo de nervoso)

tumblr_oepa7iKWdU1rey868o1_250
GIRL POWER. HELL YES.

Nossa, falei bastante, não? Espero que tenham gostado e corram para assistir essa maravilha — literalmente —. Beijos s2

Resenha: Velozes e Furiosos 8

Olá pessoal,  tudo bem? Fazia um tempo que eu não ia ao cinema, porém revolvi ir esses dias e assisti Velozes e Furiosos antes que, saísse do cinema. Afinal, essa deve ser uma das últimas resenhas da internet, né não? HAHA. Enfim, esse mês de Junho pretendo ter mais 3 resenhas de filmes que estou bem ansiosa para estrear. Chega de enrolação e vamos ao post, certo?

Depois que Brian e Mia se aposentaram, e o resto da equipe foi exonerado, Dom e Letty estão em lua de mel e levam uma vida pacata e completamente normal. Mas a adrenalina do passado acaba voltando com tudo quando uma mulher misteriosa faz com que Dom retorne ao mundo do crime e da velocidade.

20170413-velozes-furiosos-8

Eu não posso ter uma opinião tão formada em relação aos outros filmes da “saga” afinal, só assisti o 6 e esse. O filme tem tudo que realmente se espera, é ação do começo ao fim e é muito bom, te deixa ligado e não entedia. Começa com tudo bem calmo, até que Cipher, a vilã, sequestra Elena e seu filho, que foi uma amante de Dominic e consequentemente, faz com que o filho seja dele também. E Dominic é obrigado a se virar contra seu time para proteger a família que, mal sequer, sabia que tinha.

As atuações e as lutas foram bem coreografadas, fazendo ambas impecáveis. O filme é basicamente uma surra de testosterona, Megan e Letty sendo das “únicas” mulheres não suprem o excesso de músculos dos atores haha. Sobre os efeitos especiais também não tenho reclamações, vai de cena na congelante Rússia até míseras explosões bem tranquilamente.

Creio que o espírito do filme não tenha sido perdido ao longo dos anos, afinal temos carros, corridas, lutas, tiros, crimes cibernéticos e mais. Paul Walker, nunca esquecido, é homenageado com o filho de Dominic, recebendo o nome do personagem, Brian. Além das cenas hilárias que Tej e Roman causam. “Ninguenzinho” estrelado pelo deus grego Scott Eastwood também arranca boas risadas e suspiros.

4ba154a9439a5b0e83efd0bf4caa9c00
melhor brotp do filme ❤